Vale a pena voltar a estudar depois dos 50 anos?

De acordo com dados lançados pelo Ministério da Educação, ainda existem muitas pessoas que não concluíram o ensino básico no país. Esses dados podem colocar o Brasil em um nível inferior no quesito educação, mas vale a pena ressaltar que ainda existem muitos adultos que procuram concluir essa etapa.

A grande questão está em relação ao aproveitamento desse público na escola. Será que vale mesmo a pena voltar a estudar depois dos 50 anos?

Quando falamos da educação do país, nem sempre nos referimos a esta pequena porcentagem de brasileiros que não tiveram a oportunidade de concluir o ensino básico.

Esse cenário é preocupante, mas já existem algumas politicas educacionais que estão atuando para modificar esses números e facilitar o acesso a educação para esses adultos. Veja exemplos:

Encceja

Vamos começar falando do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA), que omo o próprio nome já diz, é referente a prova do Encceja e que pode ser realizado por jovens e adultos a fim de conquistar o certificado de conclusão do ensino fundamental ou médio.

O programa é justamente dividido dentre essas duas propostas: quem quer conquistar o certificado do ensino fundamental e quem quer conquistar o certificado do ensino médio. Quem não concluiu ambos os níveis, deve participar somente do segundo tipo de exame.

Essa é uma grande oportunidade para quem quer voltar a estudar e precisa de soluções rápidas, pois se trata de um exame no qual o único requisito é a idade.

A partir de 15 anos, o estudante é considerado fora da faixa etária do ensino fundamental. Enquanto isso, para o ensino médio essa faixa é de 18 anos.

Além disso, é importante informar que essa inciativa não tem fins lucrativos e portanto, as inscrições Encceja 2020 são totalmente gratuitas.

EJA

Uma outra opção, que também pode ser interessante para quem quer alcançar um objetivo em pouco tempo é a Educação para Jovens e Adultos.

A proposta surgiu também com o intuito de beneficiar os estudantes que estão fora da faixa etária de idade, assim como aquele público que não pôde concluir, por alguma razão, o ensino básico.

O programa proporciona aulas, no período da noite, de forma mais rápida e direta. Todas as matérias do ensino básico são inclusas nesse modelo.

No geral, o sistema funciona de forma bem parecida com o ensino na rede pública, dispondo de provas, trabalhos e atividades em sala de aula.

De acordo com o MEC, muitos jovens e adultos estão participando dessa proposta e independente da idade, essa pode ser a chance dar um novo direcionamento para a sua vida.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *